Pomerode e Festa Pomerana

Pomerode é a cidade que gostaríamos de ter ficado todos os dias da nossa visita ao Vale Europeu! Tem casas com jardins lindos – toda a região tem -, ruas mais tranquilas e de calçamento, casinhas típicas… um amor. Visitamos a cidade só um dia, pois estávamos hospedamos em Blumenau, mas são só 30km entre uma cidade e outra.

No portal na entrada da cidade tem vários guias e mapas, além de ser lindo pra tirar foto (até emprestam acessórios pra gente se fingir de Fritz e Frida). Parada obrigatória!

Festa Pomerana

Coincidiu da Festa Pomerana ser bem na data que fomos, em janeiro. É uma versão bem menor da Oktoberfest, mas já dá pra ter uma ideia do que tem nela!

Acontece em um pavilhão de exposições e tem barraquinhas de comida típica, artesanato, muuuuuuuito chopp, shows com bandas típicas e competições tipo “o homem que serra a tora de madeira mais rápido“. Infelizmente, como a gente estava em outra cidade, tivemos que chegar cedo na festa, umas 13h, pra dar tempo de aproveitar mais e irmos embora “sãos” =P

Salsichão alemão
Salsichão alemão

Pagamos R$ 15 cada pra entrada. O preço dos chopps é padrão: R$ 8 o copo de 500ml do comum e R$ 10 pelo premium. O detalhe é que o comum é realmente BOM. Adriano e eu,que nem bebo, provamos vários tipos. É uma bebida encorpada e bem diferente do “chopp” que conhecemos por aqui, bem gostoso.

A mais gostosa que ele achou foi da cervejaria Schornstein, e tenho que concordar que é bem boa!

Provei um espumante, porque sou chique hahaha, e que delícia! Se chama Bossa, da vinícula Hermann.

Não, a camisa do Galo não abandona o Adriano nunca. Por causa dela, um mineiro parou a gente na festa pra falar que era de MG também e contar a história dele. Ele mudou pra praia, em SC, e trabalha distribuindo mariscos pro Brasil. Convidou a gente pra ficar na casa dele, mas acho foi só porque contamos que fomos de moto! É engraçado porque sempre que contamos isso pra alguém, todo mundo fica mais gentil e interessado na viagem. Coisas que só a moto proporciona… rs

Trecho da rota enxaimel

A cidade tem um trecho da “rota enxaimel“, que são construções alemãs antigas como essa.

É apenas um trechinho curto de estrada de chão e algumas casas, mas vale a pena (no dia eu não achei que valia porque não queria NADA de estrada de chão, mas agradeço por Adriano ter me obrigado levado kkk).

Os jardins

Os jardins das cidades do sul são um caso a parte. Em Pomerode fiquei encantada, queria morar lá só pra ter um jardim. Parece que todos os moradores ficam disputando algum tipo de competição de qual é mais bem cuidado e decorado e… opa, ficam mesmo! Pesquisando pra fazer o post, encontrei um “Concurso de Jardins” da cidade. Vê se não dá vontade de morar e participar?!

As pessoas não se contentam em usar só os anões. Tem anão, Branca de Neve, caçador, bruxa, todos os animais da floresta…

"Muito bem utilizados os seus personagens, senhora! Nota 10."
“Muito bem utilizados os seus personagens, senhora! Nota 10.”

 

Adoramos a cidade e voltaríamos pra ficar mais dias nela, aproveitar todos os restaurantes lindos que vimos e conhecer mais dos arredores.

Dicas

  • Nos indicaram o restaurante Siedertahl, porém no dia não estávamos com tanta fome e o valor por pessoa é R$ 49, com buffet livre de comida alemã. Parecia delicioso!
  • Tem algumas cervejarias na cidade que ficamos com vontade de visitar, principalmente a fábrica da Cervejaria Schornstein.

 

Esse post faz parte do roteiro Sul do Brasil de moto, de Belo Horizonte à Santa Catarina. Veja por onde passamos:

rosi

Adora viajar, fotografar e escrever. Nos últimos anos aprendeu a gostar de mato, sol e desapegar de malas gigantes. Dramática, mas não tão fresca quanto parece =P