O que visitar em Urubici/SC e arredores

Depois de ficar em Blumenau e passear por Pomedore e Vale Europeu, nosso próximo destino foi Urubici. Pra chegar até lá, vivemos várias aventuras no caminho com MUITA emoção. Veja as dicas de lugares pra visitar em Urubici e onde passamos nos arredores.

Roteiro: Blumenau > Urubici
Data: 18 a 19/01/2015
Distância: 250km

O caminho: Blumenau à Urubici/SC

Saímos de Blumenau tarde, porque eu, que normalmente acordo cedo e obrigo o Adriano a levantar, simplesmente não conseguia acordar nessa viagem graças ao nosso dia a dia corrido :P

Começamos a seguir nossa rota quando, chegando em Major Gercino, demos de cara com uma estrada de chão! Com “preguiça” de voltar, resolvemos seguir achando que era só um pedacinho. Só que não… foram uns 25km de estrada chatinha, cheia de curvas, que atrasou bastante nossa programação. Olha só o trechinho:

Pra recompensar, nos deparamos com algumas surpresas pelo caminho:

Represa do Garcia – Angelina/SC

A represa é enorme e muito bonita!

Paramos pra tirar umas fotos e pro Adriano ter o prazer de andar pela ponte que passa por cima das comportas :P

Porém, quando a gente olhou pro céu, vimos…

O temporal

O céu estava negro e as nuvens vindo super rápido em nossa direção. Tiramos as fotos no modo ninja, subimos na moto, e nem sabíamos se faltava muito ou não pra chegar no asfalto!

Adriano ligou o modo piloto-off-road-ninja (o que não aconselho, é muito radical hahaha) pra gente fugir da chuva. Eu ficava olhando pra trás me sentindo no filme Twister. E os raios caindo perto de nós :O

Poucos km depois, chegamos no asfalto de novo como se tivéssemos chegado num oásis! Paramos no primeiro lugar que vimos e foi A CONTA do temporal despencar. E, por sorte, era um lugar super gostoso…

Restaurante Blumengarten Haus – Angelina/SC

O restaurante Blumengarten Haus é administrado por irmãs franciscanas, e no mesmo lugar tem uma igreja e uma pousada. Pagamos R$ 20 cada com almoço e sobremesa à vontade. E que almoço gostosooo!

Esperamos a chuva passar e pegamos estrada de novo.

Cachoeira entre Angelina e Rancho Queimado, na beira da estrada

Andamos mais alguns km e vimos uma cachoeira na beira da estrada, e não preciso nem dizer que Adriano foi atraído automaticamente por ela e paramos pra tirar umas fotos.

Começou a chuviscar e tivemos que sair correndo novamente. Só que dessa vez a chuva pegou a gente no meio da estrada, e paramos na entrada de uma casa pra vestir as capas. Uma mulher só olhou por um cantinho da janela, provavelmente achando que eramos assaltantes (era o que eu pensaria).

Devidamente vestidos, conseguimos chegar em Rancho Queimado, que tem um portal de entrada bem bonitinho, e logo depois em Uribici.


Urubici

A estrada é maravilhosa. Onde mais você vê plantações de maçã assim, do seu lado? (são os pontinhos vermelhos :P)

E a vista? Simplesmente lindo!

Pousada Arco-Íris – Urubici

Acabamos chegando umas 16h na cidade e ficamos na Pousada Arco-Íris, na avenida principal, logo na entrada chegando por Rancho Queimado. A diária foi R$ 100 com café da manhã. O quarto era aconchegante e parecia de boneca <3. A temperatura já tinha caído muito a tardinha e só saímos pra comer mesmo.

Morro da Igreja e Pedra Furada

Planejamos sair cedinho da pousada. Acordamos umas 6:30 e não dava pra ver NADA do lado de fora, além de estar fazendo um frio danado! Acabamos saindo 8h, ainda embaixo de serração. Paramos no Ibama, no centro da cidade mesmo, pra pegar autorização pra subir até o Morro da Igreja. O número de visitantes é limitado e você precisa passar pra pegar uma pulseirinha que dá acesso na portaria do parque.

Começamos a subir em direção ao Morro da Igreja e não enxergávamos nada, achamos que não ia dar pra ver nenhuma paisagem lá em cima. Mas, no meio do caminho, de repente as nuvens ficaram pra trás e a sensação era que estávamos andando em cima delas!

Foi uma das paisagens mais maravilhosas da viagem, se não a MAIS linda! Clique para ver maior :)

É indescritível o lugar e a vista.

Achei que a Pedra Furada fosse um lugar tipo uma gruta, onde desse pra passar por dentro, mas é uma pedra “lá longe”.

Só indo pra ver a estradinha maravilhosa no topo da montanha…

Cachoeira Véu da Noiva

No caminho do Morro da Igreja tem uma entrada pra essa cachoeira. Custa R$ 3 por pessoa e é bem bonita, de água gelaaada!

Cascata do Avencal

O plano era sair de Urubici, passar pela Serra do Rio do Rastro e chegar em Florianópolis no mesmo dia. Às 10h ainda estávamos em Urubici passeando. Pra ajudar, na saída da cidade pra Bom Jardim da Serra, avistamos a queda dessa cachoeira no meio do mato.

Ela ficou pra trás e nem pensamos em ir por conta do tempo. Mas, quando chegamos mais pra frente, vimos uma placa de que ela ficava a apenas 1km da estrada. A gente foi, né? A entrada foi R$ 5 por pessoa.

A queda é liiinda. É enorme, só vendo pessoalmente pra ter noção. Vale a pena visitar!

Essa foi nossa última parada antes da Serra do Rio do Rastro. Contamos no próximo post como foi, porque chega de emoção nesse! =P

Dicas:

  • Fique mais tempo em Urubici! Tem coisas demais pra conhecer, e dizem que o céu a noite é maravilhoso. Já queremos voltar no inverno pra curtir a cidade;
  • As cidadezinhas nos arredores parecem bem bonitas pelo que vimos de passagem, então vale a pena pesquisar e pensar em visitá-las também.

 

Esse post faz parte do roteiro Sul do Brasil de moto, de Belo Horizonte à Santa Catarina. Veja por onde passamos:

 

rosi

Adora viajar, fotografar e escrever. Nos últimos anos aprendeu a gostar de mato, sol e desapegar de malas gigantes. Dramática, mas não tão fresca quanto parece =P