Ilha do Campeche – Florianópolis/SC

Essa foi a praia mais bonita que visitamos em Florianópolis! Aqui explicamos como chegar até a ilha e o que tem pra fazer.

Como chegar até a Ilha do Campeche

A ilha tem um número limitado de visitantes por dia. Os barcos geralmente começam a sair às 10h e às 15h todos eles retornam.

Algumas opções de como chegar:

  • Barra da Lagoa: os barcos de passeio saem às 10h e voltam às 15h. Leva mais ou menos 1:30h pra chegar até lá. O preço é R$ 80 por pessoa;
  • Praia do Campeche: pegar uma lancha na própria praia do Campeche, que fica em frente a ilha. Custa R$ 80 por pessoa e deve gastar uns 15 minutos pra ir.
  • Praia de Armação: pegar um barco que sai de um píer na praia de Armação. Eles saem de meia em meia hora a partir das 10h. Vai direto pra ilha e demora meia hora. Pagamos R$ 60 por pessoa ida e volta;

Escolhemos a última opção por ser mais barato, não antes de checar todas as outras e dar azar como contamos aqui.

píer na praia de Armação
píer na praia de Armação

O dia na ilha

Pegamos o barco das 10h e, após um mar com muuuuitas ondas e um leve enjôo, chegamos na ilha. Lugar maravilhoso, de águas cristalinas e azuis. O céu estava azul, um calor danado. A água gelada, claro.

Ao chegar na ilha, um grupo de monitores dá algumas instruções do que pode ou não fazer. Há passeios com guias por uma trilha, mas não fizemos. Eles também avisam que os quatis roubam qualquer coisa que a gente deixe dando sopa perto do mato. Bom, instruções recebidas, deixamos nossas coisas na beira da mata e, enquanto estávamos lá felizes no mar, um argentino veio nos avisar que um quati estava mexendo em nossas coisas =O
Quando chegamos ele já tinha catado uma sacolinha de lixo e levado pro mato. Fomos roubados por quatis.

Passado o trauma, tiramos várias fotos, entramos na água, estávamos amando, até o momento das…

Águas Vivas

Vimos uma criança ser levada chorando desesperadamente pra uma barraquinha dos salva-vidas na praia e descobrimos que ela tinha sido queimada por água viva. E depois disso várias outras foram. Demos um azar enorme nesse dia, a praia mais linda de todas e o mar infestado de águas vivas! Entrávamos na água rapidinho e ficávamos vigiando pra ver se aparecia alguma. Passamos o dia fugindo delas e morrendo de calor.

Almoçamos na ilha mesmo, tem duas barracas de comida se não me engano, e pagamos R$ 47 em dois PF e água.

Nosso protetor solar acabou, estávamos na ilha e não tinha como comprar, tivemos que ficar regulando e passando miséria. Voltamos com o barco às 15h, mais sacolejar, mais enjôo…

Chegamos em nosso apartamento, ainda tinha sol e estava super calor. Empolgamos e resolvemos ir nadar no canal que passava ao lado do AP, onde tinha alguns garotos nadando também. Adriano entrou primeiro, deu um pulo do píer, e foi A CONTA dele sentir uma “queimada” nas costas. Quando fomos ver, ele tinha sido queimado por uma água viva!!!

Quase não acreditamos. Parece que elas infestaram a praia bem na época que fomos.
Ficamos sabendo que vinagre é bom e o Jaime, dono do apartamento que ficamos, gentilmente nos deu um pouco. Em questão de meia hora já estava desinchado.

Vale ou não a pena ir na Ilha do Campeche?

Vale a pena ir, é maravilhoso! Mas não vá quando correntes de água fria chegarem no litoral, senão as águas vivas vão infestar o lugar e você não poderá curtir nada dessas águas cristalinas e lindas :(

 

Nesse dia também fomos ao Projeto Tamar e adoramos! Aqui contamos como foi.

Mais praias de Florianópolis

Barra da Lagoa
Pântano do Sul e sequência de camarão
Passeio no barco pirata em Canasvieiras
Dunas de Joaquina