Costa da Bahia de Moto: Itacaré/BA

Em janeiro desse ano, resolvemos nos aventurar em nossa primeira viagem longa de moto. Decidimos ir de Belo Horizonte até Itacaré, na Bahia. Hoje vamos contar do nosso destino final da viagem: Itacaré/BA.

Roteiro: Arraial D’Ajuda/BA > Itacaré/BA
Distância: 400km
Data: 15 a 25/01/2014
Horas gastas: 6h

Depois de Arraial D’Ajuda, seguimos viagem sentido Ilhéus. Na ida, fizemos um caminho um pouco maior porque nos perdemos. O GPS indicava uma estrada muito estranha que não parecia uma BR e acabamos seguindo por outra um pouquinho mais longe. Passamos por Ilhéus, sem entrar na cidade, e seguimos até Itacaré/BA.

Estrada para Itacaré

Logo depois de Ilhéus, antes de Itacaré, tem um mirante que é parada obrigatória:

Mirante da Serra Grand - a foto da Sertão mais linda :P
Mirante da Serra Grande – a foto da Sertão mais linda :P
Mirante da Serra Grande, a primeira parada antes de chegar em Itacaré
Mirante da Serra Grande, a primeira parada antes de chegar em Itacaré

As praias

Praia da Concha

Essa é a praia mais central da cidade, bem movimentada. Não tem ondas, é quase um piscinão, pois ali a água do mar junta com a água do rio. A areia no fundo é cheia de lodo, parece que você está pisando num bicho escorregadio e grudento. Apesar da água morninha, não curti.

Praia da Concha, no centro de Itacaré
Praia da Concha, no centro de Itacaré

Praia da Coroinha

Também no centro, é a praia onde os barcos ancoram. A atração de lá é o pôr-do-sol ao som de berimbau, tocado num mirante. No dia que escolhemos pra ver estava nublado :(

Praia da Coroinha
Praia da Coroinha

Praia do Resende

Andando pela rua que chega até as praias “nadáveis” (bem perto, coisa de 200m), a praia do Resende é a primeira. Ficamos um dia nessa praia, ela é bem parecida com as próximas duas. Água morninha, cristalina, ondas fortes e enseada pequena.

Praia do Resende
Praia do Resende

Praia da Costa

A segunda praia fica na enseada logo após a do Resende. Ficamos um dia nessa, só deitados na grama embaixo de um coqueiro! Depois falaram com a gente que é uma das mais perigosas pra nadar, porque tem pedras dos dois lados e a corrente puxa pro lado delas. Mas como eu só nado no rasinho e obrigo o Adriano a nadar lá também, não tivemos problemas =P

Praia da Costa
Praia da Costa

Praia do Tiririca

A terceira praia seguindo pela mesma rua, conhecida pelos campeonatos de surf.

Praia da Ribeira

A mais cheia! Essa tem vários quiosques na beira da praia (foi a única, tirando a central, que tinha mesas na areia), tirolesa e uma mata bem fechada cercando. Também tem um rio que desagua no mar, e quando a maré sobe, as mesas dos quiosques ficam dentro dágua mesmo. É a que achamos mais povão, mas a água estava uma delícia =P

Praia da Ribeira - Itacaré
Praia da Ribeira

Prainha

Pra chegar nessa, precisa pegar uma trilha que começa na praia da Ribeira. 40min de caminhada pela mata depois (diz o Adriano, pra mim são 2h), você chega em uma praia linda!

A trilha não é pesada, é bem batida, a maior parte na sombra, e até movimentada. Pelo caminho tem vendedores de côco e até uma mini-cachoeira pra refrescar. Não entrei na cachoeira porque devia ter bichos, logo, sofri bastante com o calor onde a trilha era no descampado. Fora o guia brincando de assustar a gente olhando pra trás de repente e falando “OLHA O BICHO!”.

Trilha pra Prainha
Trilha pra Prainha

Pagamos R$ 20 pra um guia nos levar por essa trilha, ficam vários na praia da Ribeira. Alguns turistas honestos esperam alguém contratar um dos guias pra ir seguindo eles pelas trilhas, mas a gente achou feio e foi com um guia chamado Jacaré (que acabou como amigo do Adriano no Facebook! =P).

Cobra Cipó na trilha pra Prainha :(
Pra quem sempre me acha dramática, na trilha pra Prainha tinha bichos simmm! Me dá até arrepios ver isso :(
Sapo (venenoso, segundo nosso guia maluco) na trilha da Prainha
Sapo cururu

Desabafo: precisei escolher entre ficar perdida na floresta pra sempre ou seguir um guia que poderia nos roubar e matar a qualquer momento. Pra aumentar a neurose, ele tinha um machucado misterioso na perna que não quis contar como foi feito, e precisava tomar um tal remédio SEM FALTA em determinada hora, que fez ele caminhar 2h a mais na trilha só pra tomar e voltar. Suspeito.

O Jacaré explicou tudo sobre todas as árvores, pedras, frutas, sementes e animais do caminho. Foi puro entretenimento. Ele nos deixou na praia e voltou algumas horas depois pra levar a gente de volta, mas CLARO que mais algumas pessoas honestas resolveram ir embora sem pagar. Porém, ele encontrou as pessoas no meio do caminho e elas pagaram com a cara no chão. Ouvimos toda uma palestra sobre honestidade na volta hahaha
Recomendamos muito ele se alguém for pra lá e precisar. Ele até tocou berimbau pra gente.

Vista chegando na Prainha
Vista chegando na Prainha
Chegando na Prainha
Prainha

Itacarezinho

Precisamos ir de moto pra chegar nessa praia. Fica a 15 km de Itacaré, na rodovia que dá acesso a cidade.
Itacarezinho é uma praia bem rica. Chegando lá, tem que descer uma ladeira pra chegar até a praia, e se você descer de moto ou carro obrigatoriamente precisa estacionar lá e pagar R$ 10 (pra moto).
Na praia só tem um restaurante com barracas chiquérrimas em uma área fechada. Acho que nem chegamos a perguntar o preço pra ficar lá, mas como vimos a galera tomando champanhe, desistimos.

Itacarezinho
Itacarezinho
Castelinho de areia moderno em Itacarezinho
Castelinho de areia moderno em Itacarezinho

Na praia, a gente calcula se as coisas são caras ou não pelo preço do côco. Nessa, 300ml de água de côco no copo, daquelas de máquina, era R$ 5. Ainda bem que a gente sai prevenido com água e comida =P

A praia é si é linda e imensa! É aquela praia plana, que você vai andando pela água e de repente tá lá no meio do mar. Tem ondas fortes, mas lá no fundo.

Praia de Havaizinho e Engenhoca

As duas praias ficam na mesma entrada. Fomos de moto até a entrada do lugar, a 19 km de Itacaré, e deixamos estacionado na beira da rodovia mesmo (tem estacionamento). Acho que pagamos R$ 5.

Pausa para falar da trilha: pra chegar nas praias, é uma caminhada de meia hora em uma trilha fechada, pouco batida em alguns lugares, vazia e super silenciosa. Qualquer barulhinho pra mim era uma onça, cascavéis, javalis e coisas assim. Andei cada minuto esperando que um maníaco pulasse do meio de uma moita e nos arrastasse até uma cabana abandonada pra nos torturar.

Trilha para chegar em Engenhoca e Havaizinho
Trilha do terror para chegar em Engenhoca e Havaizinho – essa é a melhor parte da trilha

Em um trecho da trilha tem uma bifurcação: a esquerda é a praia de Engenhoca e a direita a prainha (não lembro se tinha placa, acho que não).

Em Engenhoca não entramos na água. A praia é bem parecida com as outras – mar, mata e pedras. Tinha uma barraca vendendo a melhor cocada do mundo! Se você precisa de um incentivo pra enfrentar uma trilha dessas, pense na cocada de lá! No meu caso, nem cocada consolou, e eu só pensava que teria que voltar pela mesma trilha (correndo, claro).

Engenhoca
Praia de Engenhoca

Nesse dia ficamos em Havaizinho. A vista quando se está chegando é muito bonita, mas no dia estava chuviscando, achamos que deve ser mais linda ainda com sol forte. Tem barracas de comida nessa praia, principalmente tapioca :P

Praia de Havaizinho - Itacaré
Praia de Havaizinho

Jeribucaçu

Essa é quase dentro de Itacaré mesmo, mas você precisa pegar uma estrada de terra pra chegar. No final da estrada, tem algumas casas e os donos cobram pra estacionar no quintal deles. Foi R$ 10 pra moto. Tem guias pra ir pela trilha se quiser, mas como era perto, fomos sem. Andamos meia hora mais ou menos pela pior trilha de todas. Tinha chovido, então tinha lama e barrancos escorregadios.
A chegada na praia é de tirar o fôlego, porque se tem vista do mar e do rio que deságua nele.

Jeribucaçu
Praia de Jeribucaçu

O mar tem ondas fortes, mais pra surfistas, mas ficar no rio também é uma delícia!
Os donos dos quiosques já te abordam assim que você chega perguntando se quer reservar almoço. O prato especial é peixe na brasa assado na hora, que você escolhe qual vai ser. Infelizmente não provamos dessa vez!

A cidade e a pousada

Itacaré foi a cidade que mais ficamos: foram 10 dias apenas curtindo praias! \o/
Ficamos na Pousada Pico das Praias, pagamos R$ 100 a diária. Fica em uma rua cheia de restaurantes e lojas, e bem no caminho para as praias. O lugar muito gostoso com um café da manhã delicioso! Só de lembrar do cuscuz de tapioca, dos bolos e sucos naturais… hummm!

Carne de sol com banana da terra
Carne de sol com banana da terra, uma das comidas mais gostosas que provamos <3

Nos primeiros dias, acho que a dona pensou que éramos “aventureiros vida loka” e olhava meio mau humorada pra gente, com medo de colocarmos fogo no lugar, ouvir funk, dar festas, sei lá. Mas depois se mostrou super simpática e preocupada com a gente… recomendamos muito! O único problema que tivemos é que no primeiro quarto que ficamos o ar condicionado era suuuper fraco. Se eu morri de calor a noite, imagina o Adriano? Felizmente mudamos pra outro quarto em que o ar funcionava!

Não faço ideia de quantos mil litros d’água compramos. Como a gente ficou mais tempo em Itacaré, apelamos e ao invés de 1,5l comprávamos 5l de uma vez. A gente cogitou comprar um galão de 20l, mas não tínhamos casco… fato é que nenhum de nós passou mal nenhuma vez na viagem por desidratação, intoxicação alimentar ou insolação. Também não comemos coisas muito exóticas, tipo moqueca com dendê. Tinha um pessoal acampado na nossa pousada que precisou alugar um quarto depois de comer isso e passar mal, imagina a situação…

Todas as águas são mornas e cristalinas, as comidas são boas, o visual maravilhoso, tudo é muito limpo, o pessoal prestativo, o custo é baixo, não tinha “povão” em 95% das praias, é um paraíso!

Praias preferidas

As praias são um espetáculo. Durante a viagem até classificamos elas com corações pra decidir quais a gente tinha amado mais <3. Pra mim, foram as praias da Costa e Itacarezinho. Adriano curtiu mais as primeiras praias que fomos – Resende, Costa, Tiririca e Ribeira – e o Havaizinho.

Península de Maraú

Enquanto estávamos em Itacaré, visitamos a Península de Maraú e fizemos os passeios pelas praias de lá. IMPERDÍVEL pra quem for! Vamos contar em breve :)

Dicas:

  • Itacaré é bem grande, tem posto de gasolina, supermercados, bancos e tudo mais
  • Achamos a comida muito em conta, foi o lugar que comemos melhor e pagamos menos!
  • Algumas trilhas realmente precisam de guias. Ninguém quer ficar perdido pra sempre na mata, né?!
  • Algumas trilhas são mais fechadas e é bom ir de tênis/calça (descobri isso depois de estar na trilha de saída de praia e chinelo – e o Adriano pediu pra acrescentar “eu avisei” :P)
  • Em quase todas as praias distantes que a gente foi tinha barraca de comida, mas é sempre bom levar